O essencial é simples

O nascimento da identidade gráfica

Quando comecei a falar com o Luís Oliveira, creative designer ainda não tinha ideia nenhuma de como podia ser...só sentia muita responsabilidade em passar para os outros a minha imagem gráfica correspondente. Como iria conseguir ? Reuni alguma informação chave sobre os serviços e respondi a questões colocadas pelo Luis .

A importância das pessoas com quem trabalhamos

Falei de como é importante para mim trabalhar com pessoas, contribuir para o seu desenvolvimento, progresso, aprendizagem e ao mesmo tempo crescer com elas, como nós estamos todos ligados e como achava tão complementar estas abordagens - constelações, coaching e mentoria. Falei de como é bom acompanhar os outros, nos seus desafios e oportunidades, nas suas descobertas mais profundas do seu Ser, contribuir e assistir para a construção de pontes entre os paradoxos ...de como as pessoas têm tantos recursos internos mas muitas vezes desconhecidos ou esquecidos e de como é bom testemunhar a sua ativação. Sinto-me muito grata por aprender muito sobre o outro neste trabalho, sobre mim, sobre a vida.

Quando o Luis me chamou para uma reunião para ver as suas propostas de logotipo , fiquei na expetativa...como iria ser , vou gostar? E senão gostar o que faço? Bem, um passo de cada vez, pensei . Vamos lá! Entro...e o meu olhar é direcionado de imediato para o computador com imagens, seriam duas propostas de “identidade gráfica” diz-me o Luis de seguida. Identidade gráfica...são duas palavras muito fortes ....olho para o computador e rasguei um sorriso em consonância com a alegria que senti e ...fiquei em modo escuta . Gostava das cores e da simplicidade. O Luis deu-me a explicação da sua ideia: “é um N, do teu nome Nídia”, disse. Senti os meus pais comigo e a sua força a passar para mim. Senti-me fortalecida. Continuava :”As linhas têm a ver com o caminho, um caminho de progresso e evolução nem sempre é linear, tem curvas, os pontinhos representam as pessoas que estão todas ligadas, os clientes, as parcerias, todos os que fazem parte .” O meu sorriso permanecia por achar que era isso mesmo que queria e as cores eram alegres, representavam a alegria que tenho em fazer este trabalho, pensei. “O essencial é simples” como diz Bert Hellinger.

Fica sempre uma boa memória quando trabalhamos com pessoas que nos escutam, que tomam atenção ao que é importante, fazem disso a sua prioridade e são profissionais. A sua inclusão é fundamental. Obrigada Luís Oliveira, por teres captado o essencial e teres feito o processo parecer simples .

Este é o primeiro texto do blog que espero que consiga contribuir com informação com valor para os leitores, escrito por mim ou por convidados sobre temas variados e atuais, de alguma forma relacionados com as áreas de prestação de serviços aqui disponibilizados.

Etiquetas:
TOPO